Prevenção de doenças crônicas não transmissíveis

Prevenção de doenças crônicas não transmissíveis

Atualmente, a expectativa de vida de um brasileiro, segundo o IBGE publicado em 2014 é de 74,9 anos. Esta idade avançada da população faz com que haja um aumento natural na incidência de doenças crônicas não transmissíveis. Entre os males mais frequentes estão as doenças cardiovasculares, o diabetes mellitus, o mal de Alzheimer, as doenças respiratórias crônicas e a osteoporose.

Condições de vida influenciam

Segundo dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico, 64% dos óbitos no Brasil são causados por estas doenças, que possuem características semelhantes, tais como o longo período até estar completamente instalada, a influência imposta pelas condições de vida, o tempo de evolução prolongado e as complicações que acarretam em incapacidade e óbito.

No entanto, as doenças crônicas são passíveis de prevenção, já que seus fatores de risco de estão diretamente relacionados a maus hábitos e falta de qualidade de vida. Estudos epidemiológicos destacam o baixo consumo de frutas e hortaliças, o excesso de peso, a hipertensão arterial, a hipercolesterolemia, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, o sedentarismo e o tabagismo como principais influenciadores.

Alimentação reduz riscos de doenças crônicas

Justamente por isso, uma alimentação saudável é capaz de prevenir o surgimento de doenças crônicas. Em uma alimentação com predomínio do consumo de alimentos naturais em detrimento dos industrializados, variedade de nutrientes, combinações e proporções adequadas entre carboidratos, proteínas e gorduras e adequação calórica para manutenção de um peso saudável é possível reduzir os riscos de ocorrência destes males.

Com orientação nutricional especializada, será possível elaborar um planejamento alimentar que priorize a ingestão de alimentos ricos em fitoquímicos, que garantem proteção ao organismo, como exemplo os glucosinolatos presentes nos vegetais crucíferos (brócolis, couve flor), capazes de reduzir o risco de câncer, além de diminuir o consumo de alimentos que influenciam na incidência de doenças crônicas, como a carne vermelha e os embutidos.

Sobre Fernanda Mululo

Nutricionista clínica pós-graduada em nutrição funcional e fitoterapia. Atua no atendimento exclusivo e individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Desde de sua formação trabalha com mulheres portadoras de endometriose e em pré e pós operatório de cirurgias diversas. Nutricionista Staff do Hospital Universitário Pedro (HUPE/UERJ) na área materno infantil, trabalha também em parceria com clínica de estética e com equipe de gastroenterologista no tratamento de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Dedica total atenção aos pacientes, permitindo a troca de experiências para o avanço no tratamento ou na mudança do estilo de vida.
CRN 11100927 www.fernandamululo.com.br

Compartilhe !