Nutrição na Hemodiálise: chave para um tratamento de sucesso

Nutrição na Hemodiálise: chave para um tratamento de sucesso

Os rins desempenham funções importantes para o nosso organismo, como a filtração do sangue para a eliminação dos resíduos referentes a nossa alimentação, remoção dos líquidos em excesso, produção de hormônios como a renina e eritropoietina e a ativação da vitamina D.

Quando os rins não funcionam adequadamente, substâncias como potássio, fósforo, uréia, sódio e água vão se acumulando no sangue e estas substâncias podem causar diversos problemas no nosso organismo como fraqueza nas pernas, fadiga, nauseas, coceira no corpo todo, inchaço, diminuição da urina entre outros.

A hemodiálise surge como uma opção de tratamento que permite remover algumas toxinas e o excesso de água do organismo, esse tratamento age como um “rim artificial”.

A hemodiálise deve ser aliada a uma alimentação adequada a fim de fornecer um controle de nutrientes e garantir um bom estado nutricional.

Pacientes em tratamento conservador – Antes da diálise

A fase que antecede a diálise é chamada de tratamento conservador. Pacientes com filtração glomerular > 60 ml/minuto, geralmente não necessitam de orientações específicas quanto à alimentação, mas, evidentemente uma alimentacao saudavel é indispensavel.

Os pacientes que apresentam uma taxa de filtração glomerular < 60 ml/minuto, devem fazer um acompanhamento nutricional, devido a necessidade do controle dae qualidade da ingestão proteica, com restrição parcial de alguns alimentos ricos em fósforo e potássio. Os objetivos do tratamento conservador são basicamente minimizar sintomas urêmicos, como náuseas e perda do apetite, alem de visar retardar a evolução da doença e manter um bom estado nutricional até a necessidade de iniciar o programa de diálise, se necessário.

Pacientes em Diálise

No tratamento dialítico, a ingestão de proteína é maior do que no tratamento conservador, pois a perda de proteínas no processo de diálise pode ser significativa. Sendo assim, é essencial ter uma alimentação correta para evitar a desnutrição e deficiencia nutricional. Na dialise os níveis de fósforo e potássio podem estar bem elevados e o tratamento nutricional requem muita atenção.

Durante esta fase deve-se evitar os seguintes alimentos:

  • Embutidos como salsicha, mortadela, presunto, linguiça, salame, etc
  • Miúdos como moela, fígado, coração, dobradinha, etc
  • Queijos
  • Gema de ovo
  • Oleaginosas como castanhas, amendoim, avelãs e nozes
  • Chocolates
  • Cervejas
  • Refrigerantes a base de cola
  • Frutos do mar e peixes como sardinha, atum, bacalhau e salmão
  • Enlatados em conserva, como milho, ervilha, azeitonas, picles, palmito
  • Margarina ou manteiga com sal
  • Temperos e molhos prontos
  • Sopas e alimentos de pacote

Orientações nutricionais

É muito importante verificar a informação nutricional nos rótulos alimentares, geralmente os alimentos industrializados que possuem conservantes são fontes de fósforo, alem de possuírem grandes quantidades de sódio também.

– Para o controle do potássio na dieta prepare sempre verduras e legumes cozidos, assim eliminando boa parte desse mineral dos alimentos.

– Não coma carambola ou tome o suco da fruta, pois contém uma substância tóxica para portadores de doença renal. Entre as manifestações desta toxina destacam-se vômitos, fraqueza muscular, insônia, distúrbio de consciência, agitação e ate mesmo convulsão.

– A ingestão de líquidos pode variar de acordo com a quantidade do volume urinário diario. De um modo geral, se você urina, a restrição de líquidos é 500 ml somados ao seu volume urinário em 24 horas. Se você não urina, a restrição é em torno de 500 ml ao dia. O ganho de peso hidrico entre uma diálise e outra deve ser de 3 a 5% do peso seco. Por exemplo, um paciente de 70 kg, deve ganhar entre uma diálise e outra em torno de 2,1 kg (3% do peso seco). Como regra geral, é importante não ganhar além de 2kg no intervalo entre as dialises e 3 kg aos fins de semana. O excesso de líquidos pode trazer consequências importantes, como o aumento da pressão arterial, água no pulmão e dificuldade respiratoria.

Uma alimentação correta é essencial para o sucesso no tratamento renal. É importante que o paciente seja acompanhado com um profissional da area de nutrição, sendo a dieta um grande aliado para o tratamento e qualidade de vida.

Sobre Tainara Gobetti

Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica Personalizada, acredita em uma nutrição descomplicada, funcional e gostosa. Atua através de um olhar específico sobre cada pessoa, suas individualidades e comportamento alimentar para a busca do equilíbrio entre mente e corpo saudável.
CRN: 10820
E-mail: [email protected]

Compartilhe !