Nutrição esportiva na prática de atividades físicas

Nutrição esportiva na prática de atividades físicas

A prática de atividades físicas está diretamente relacionada à saúde e à qualidade de vida. No entanto, para que o corpo possa usufruir dos benefícios proporcionados pelos exercícios, é fundamental que a alimentação seja capaz de compensar adequadamente as alterações fisiológicas e os desgastes nutricionais causados pelo esforço realizado, de maneira a devolver o equilíbrio ao organismo. É aí que entra a nutrição esportiva.

Alimentação repõe nutrientes específicos

Isto acontece porque qualquer tipo de exercício realizado regularmente e em intensidade, no mínimo, moderada leva a algum tipo de alteração no metabolismo e na distribuição e excreção de vitaminas e minerais, o que faz com que as necessidades de nutrientes específicos sejam afetadas de acordo com as demandas fisiológicas. Ou seja, para que a atividade física seja benéfica, a alimentação deve ser adequada.

Ao elaborar um plano alimentar específico para um praticante de exercícios físicos, o nutricionista levará em consideração diversas variáveis, tais como: composição corporal, objetivo e gasto energético com a atividade realizada. Afinal, uma alimentação que não preza pelas necessidades individuais do paciente não atenderão ás demandas de nutrientes importantes relacionados ao metabolismo energético, à reparação tecidual, ao sistema antioxidante e à resposta imunológica.

Alimentos antiinflamatórios e hidratação são fundamentais

Como a inflamação é um dos principais causadores de lesões e do desenvolvimento de doenças em praticantes de atividades físicas, os alimentos que contêm agentes antiinflamatórios, como açafrão, gengibre e alho, são essenciais para a alimentação. Outro item indispensável para a nutrição esportiva adequada é a hidratação, visto que a reposição insuficiente de água resulta em diminuição de força muscular, aumento de risco de cãibras e, até mesmo, queda de desempenho.

Além disso, o nutricionista também é o profissional capacitado a indicar o uso de suplementos alinhado ao plano alimentar e aos horários de treinos, caso seja necessário. Entre os mais utilizados atualmente estão: os carboidratos (maltodextrina, dextrose), as proteínas (whey protein nas suas diferentes formas), os aminoácidos (BCAA, arginina e creatina), vitaminas, minerais e ômega-3, que ajudam a retardar a fadiga muscular e auxiliam a recuperação pós-treino.

Sobre Fernanda Mululo

Nutricionista clínica pós-graduada em nutrição funcional e fitoterapia. Atua no atendimento exclusivo e individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Desde de sua formação trabalha com mulheres portadoras de endometriose e em pré e pós operatório de cirurgias diversas. Nutricionista Staff do Hospital Universitário Pedro (HUPE/UERJ) na área materno infantil, trabalha também em parceria com clínica de estética e com equipe de gastroenterologista no tratamento de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Dedica total atenção aos pacientes, permitindo a troca de experiências para o avanço no tratamento ou na mudança do estilo de vida.
CRN 11100927 www.fernandamululo.com.br

Compartilhe !