Intolerância ou alergia alimentar? Saiba as diferenças entre eles

Intolerância ou alergia alimentar? Saiba as diferenças entre eles

Cada vez mais, além da preocupação com uma alimentação mais saudável, muitas pessoas são obrigadas a cortar alguns ítens do cardápio. Bastou comer algum alimento e pronto: sintomas dos mais diversos decorrentes da intolerância ou da alergia.

Mas você sabia que cada uma delas age de forma diferente no organismo e, por isso, demanda cuidados diferentes? Para começar, você sabe a diferença entre intolerância ou alergia alimentar?

Como identificar pelos sintomas

Tudo o que você precisa saber para começar a entender melhor o funcionamento do nosso organismo neste tipo de problema é que, na alergia, o nosso corpo identifica aquele alimento como uma ameaça e envia os anticorpos para combatê-los.

Alergia alimentar

Essa reação pode ser sentida em todo o corpo, pois é uma resposta geral que o corpo dará para o “alimento agressor”. Dessa forma, os sintomas podem envolver todas as partes do corpo, como coceira, diarréia, dificuldade respiratória e inchaço nos lábios. E é muito importante identificar quando antes os sintomas se são decorrentes, de fato, de uma alergia. Isso porque, mesmo que seja uma alergia leve, nada impedirá que uma alergia apareça novamente quando o alimento for consumido em uma nova ocasião, causando uma reação alérgica mais forte que, no pior dos cenários, pode provocar um choque anafilático.

Na alergia, os sintomas ainda aparecem de imediato. Então, a melhor coisa a fazer é consultar um médico e não sofrer se precisar riscar, em definitivo, algum alimento do seu cardápio. Temos uma infinidade de outras coisas gostosas para você consumir! E não esqueça: na alergia, os sintomas são generalizados.

Seus principais sintomas são coceira e vermelhidão na pele, inchaço em algumas partes do corpo, principalmente na face, boca e língua. Além disso, a pessoa poderá sofrer com falta de ar e desencadear diarreias e vômitos.

Intolerância alimentar

Neste caso, diferentemente da alergia, a intolerância alimentar provoca sintomas mais específicos. Durante a intolerância, o alimento consumido sofre com a má digestão, ou seja, os sintomas aparecem mais predominantemente no sistema gastrointestinal.

Seus principais sintomas são inchaço abdominal, vômitos e diarreias, queimação na garganta e dor no estômago. Diferente da alergia, na intolerância alimentar os sintomas ainda podem demorar cerca de 30 minutos para começarem a se manifestar.

Aqui, quanto mais do alimento for ingerido, piores serão os sintomas, como perturbações digestivas, cólon irritável, cólicas e azia. Alguns sintomas como excesso de peso, acne, psoríase, ansiedade, depressão, artrite, inflamações, dores de cabeça, aumento da produção de muco pelo corpo, alteração de sono, cansaço, algumas alterações de pele também podem aparecer com uso contínuo do alimento que cause a intolerância.

A intolerância alimentar pode ser definitiva ou transitória

A intolerância a lactose, por exemplo, pode ser transitória causada por exemplo por um processo diarreico grave que ocorreu a pouco tempo, ou em um pós operatório de cirurgia intestinal, uso de muitos medicamentos que modificam as bactérias intestinais e a as células intestinais, causando uma má digestão desse nutriente e uma intolerância quando consumido. Porém, tratando o intestino com bactérias boas, alimentos antiinflamatórios as células que fazem a produção da enzima de digestão desse nutriente na borda do intestino começam a retornar sua função e melhorar todo esse processo.

Já a intolerância alimentar devido a idade mais avançada, em que o idoso passa a ter menos lactase (enzima que digere a lactose na borda do intestino) acarretando uma intolerância a esse carboidrato vindo do leite e derivados ou pessoas que sem motivos de alteração intestinal, sente desconforto sempre que consumem um quantidade de lactose (mesmo em alguns casos de alimentos sem lactose) são os verdadeiros intolerantes e não devem consumir esse nutriente afim de evitar os sintomas intestinais e extra intestinais.

Alimentos que podem causar alergia ou intolerância

Um exemplo comum de alergia são alimentos como o camarão e frutos do mar, glúten, mariscos, amendoim, tomates e o kiwi e abacaxi, pessoas com alergia a esses alimentos não podem consumir NADA contendo que contenha esses ingredientes e alimentos.

Os alimentos que contém o glúten são também fortes causadores da intolerância alimentar de muitas pessoas, provocando sintomas de má digestão, inchaço abdominal, constipação ou diarréia, dores de cabeça e etc. Geralmente, após os sintomas de intolerância, elas precisam evitar na dieta alimentos como cereais que contêm glúten, fazendo um rodízio alimentar e evitando exposição a esse nutriente em grande quantidade.

Outro grande alimento de intolerância é a lactose, um tipo de açúcar contido no leite e seus derivados, como, por exemplo, os queijos. Não raro, outros alimentos como o ovo, morango, espinafre e o pão também podem causar a intolerância. E lembre-se! Não adianta: nos dois casos, a melhor coisa a fazer será evitar mesmo da mesa todos esses alimentos e substituir por receitas que levem os mesmos benefícios para o nosso organismo.

Quanto antes identificar, melhor!

A maior preocupação dos papais de primeira viagem são os sintomas que causam dor, irritação e alergias nos bebês. É um desespero só! Por isso, é muito importante que a gente saiba como esses sintomas se manifestará, para que a criança possa, o quanto antes, viver melhor e de forma mais saudável. Vamos lá!

No caso dos bebês, os sintomas aparecem, primeiramente, por meio da pele, ou do sistema digestivo e da respiração do bebê, que geralmente apresenta nesses quadros muitos gases, manchas avermelhadas pelo corpo, diarreia e dificuldade para respirar. O nariz escorrendo, muitas vezes, também significa algum tipo de alergia alimentar.

No caso dos mais novinhos, a dor de ouvido também pode chegar indicando que o corpo está reagindo a algum tipo de alergia. Eu sei! Mas como você irá saber qual dos alimentos estão causando essas alergias? Vamos retirar, um a um, os alimentos da dieta do seu filho ou da mãe que está amamentando e observar se os sintomas estão desaparecendo. Mas se você achar melhor, não hesite: procure saber com o pediatra da criança sobre os testes de alergia e intolerância alimentar.

Como prevenir a alergia e a intolerância alimentar

A única forma que teremos para prevenir nosso organismo dos efeitos causados pelos alimentos que provocam alergia ou a intolerância alimentar é o diagnóstico, que permitirá conhecer as substâncias que precisaremos cortar em nossa dieta.

Lembre-se que sempre devemos respeitar a individualidade de cada pessoa, sendo assim existe pessoas que são intolerantes e não podem consumir nada do alimento que já sente algum desconforto, e tem pessoas que se consumir de forma espaçada e pequena quantidade ficam bem, não precisando da completa exclusão do alimento, há não ser, que com um tempo passem a sentir sintomas extra intestinais que atrapalhem a qualidade de vida.

Sobre Fernanda Mululo

Nutricionista clínica pós-graduada em nutrição funcional e fitoterapia. Atua no atendimento exclusivo e individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Desde de sua formação trabalha com mulheres portadoras de endometriose e em pré e pós operatório de cirurgias diversas. Nutricionista Staff do Hospital Universitário Pedro (HUPE/UERJ) na área materno infantil, trabalha também em parceria com clínica de estética e com equipe de gastroenterologista no tratamento de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Dedica total atenção aos pacientes, permitindo a troca de experiências para o avanço no tratamento ou na mudança do estilo de vida.
CRN 11100927 www.fernandamululo.com.br

Compartilhe !

Comentários

  1. Shelton says:

    Caraca, legal o artigo bem explicado, gostei.
    Muito legal mesmo, tirou minhas duvidas, vou recomendar seu artigo.