Endometriose: o que é, quais os sintomas, diagnósticos e tratamentos

Endometriose: o que é, quais os sintomas, diagnósticos e tratamentos

A alimentação está associada à prevenção, tratamento e melhora dos sintomas das doenças. Por isso, ela pode ajudar na diminuição dos sintomas que mudam a rotina das mulheres que possuem e alteram o bem estar. Hoje, iremos falar sobre como certos alimentos influenciam no tratamento da endometriose. Você sabe o que é isso?

A endometriose acontece quando a mucosa que reveste a parede interna do útero, o endométrio, se desenvolve, de forma irregular, em outras partes do corpo, como na parte externa do útero, na pelve, no peritônio, ovários, reto, intestino e bexiga. E porque estou escrevendo logo sobre a endometriose? Porque apesar do nome soar estranho para você, a endometriose, infelizmente, é um problema mais comum do que vocês imaginam.

Estima-se que 15% das mulheres entre 15 e 45 anos de idade possuem essa doença. Esse percentual sobe para até 70% quando a mulher apresenta história de infertilidade ou dor pélvica. Os locais mais atingidos pela endometriose são: ovários, fundo de saco de Douglas (atrás do útero), ligamentos que sustentam o útero, trompas, septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto), intestino, bexiga, e parede da pelve.

Como identificar os sintomas da endometriose

Ela pode causar desconforto e dor pélvica durante o ciclo de menstruação, porém não em todas as mulheres. A dor durante o ciclo menstrual pode ser mais forte e mais intensa com o passar do tempo, em alguns casos, a dor incapacitante. Além disso, a paciente pode sofre com cólicas antes da menstruação chegar e após, muitas vezes acompanhadas de dores na parte baixa do abdômen.

O desconforto e ardência na hora de urinar também estarão presentes, bem como as dores durante a penetração ao longo da relação sexual com o parceiro, ou dor para evacuar. Essas dores ao urinar e evacuar são agravadas durante o período menstrual, podendo ocasionar diarreia, fadiga. Um dos sintomas que mais se diagnostica a endometriose é infertilidade, que é definida pela ausência de gravidez após um ano de atividade sexual sem o uso de métodos contraceptivos.

Diagnósticos e tratamentos da endometriose

A endometriose pode ser identificada a partir de alguns exames específicos que auxiliam no diagnóstico da doença, porém só se pode ter certeza da presença de células endometriais em locais não fisiológicos, através do estudo histopatológico, ou seja, com biópsia do tecido.

A ressonância magnética, ou até mesmo o exame pélvico por meio do toque, são geralmente os mais utilizados para diagnóstico. Normalmente, são utilizados dois tipos de tratamento para combater as dores da endometriose: o tratamento cirúrgico, o tratamento medicamentoso, ou, até mesmo, os dois.

Como os alimentos podem ajudar?

1- Uma dieta balanceada (rica em vitamina e minerais antioxidantes, tais como: Vitamina E, C, zinco e selênio) pode apoiar o tratamento da endometriose. Eles contribuem para a melhora do processo inflamatório e, consequentemente, para reduzir os sintomas como dor e infertilidade. Neste grupo estão alimentos como kiwi, acerola, limão, maracujá e frutos oleaginosos (castanhas, nozes, amêndoas).

2- O bom funcionamento intestinal também é importante para manutenção da saúde já que podem ajudar a diminuir a infamação abdominal, além de auxiliar na eliminação de toxinas alimentares e ambientais que têm impacto sobre os tecidos endometrióticos do colesterol (que gera impacto estrogênico circulante). Os cereais integrais, frutas e vegetais são importantes fontes de fibras que desempenham esse papel, melhorando sintomas como dor e constipação intestinal.

3- Na redução do processo inflamatório, um outro aliado é o uso do Ômega 3. Esse tipo de gordura está presente em peixes como atum, sardinha e em cereais como a linhaça e chia. Já o Ômega 6 e a gordura saturada, encontrados na carne vermelha e em produtos industrializados, podem aumentar o processo inflamatório, com a piora dos sintomas. Além disso, a carne vermelha está associada maior concentração de estradiol no sangue que poderia estar associado ao desenvolvimento da doença.

4- Fitoquímicos presentes em alimentos como a couve-flor de Bruxelas, chá-verde, brássicas (agrião, brócolis, couve-couve-flor, manteiga, mostarda, nabo), cúrcuma, ervas naturais, raízes, ajudam nos processos de remoção e/ou neutralização de toxinas no corpo, favorecendo o controle da doença.

5- Poluentes ambientais como o bisfenol A (utilizado na produção de produtos de plástico), dioxina, metais tóxicos (chumbo, mercúrio e cádmio), pesticidas, agrotóxicos poderiam aturar na alteração do sistema imunológico (desrruptores endócrinos) permitindo que implantes de endometriose se desenvolvam. Sendo assim, prefira os alimentos da safra, de distribuição regional, orgânicos e evite a utilização de plásticos com bisfenol A.

6- A alimentação das mulheres com endometriose deve priorizar a ingestão de frutas, legumes, hortaliças, cereais integrais, peixes, carnes magras, orgânicos e de distribuição regional.

7- Manter o corpo em atividade e evitar o consumo de alimentos ricos em farinha refinada e açúcar que pioram o processo inflamatório e afetam a saúde intestinal. Mantenha, portanto, equilibrado a mente e o corpo.

8- O acompanhamento nutricional é importante para proporcionar este equilíbrio envolvendo todos os fatores alimentares como a individualidade de cada mulher com endometriose e para avaliar a necessidade de suplementos para ajudar como coadjuvante no tratamento da endometriose.

Confira também essa matéria sobre dicas de nutrição para a prática de atividades físicas!

Sobre Fernanda Mululo

Nutricionista clínica pós-graduada em nutrição funcional e fitoterapia. Atua no atendimento exclusivo e individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Desde de sua formação trabalha com mulheres portadoras de endometriose e em pré e pós operatório de cirurgias diversas. Nutricionista Staff do Hospital Universitário Pedro (HUPE/UERJ) na área materno infantil, trabalha também em parceria com clínica de estética e com equipe de gastroenterologista no tratamento de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Dedica total atenção aos pacientes, permitindo a troca de experiências para o avanço no tratamento ou na mudança do estilo de vida.
CRN 11100927 www.fernandamululo.com.br

Compartilhe !