Disbiose Intestinal: conheça as causas, sintomas e tratamento

Disbiose Intestinal: conheça as causas, sintomas e tratamento

As causas da disbiose intestinal podem estar relacionadas com o uso excessivo de medicamentos, cortisona ou laxante e o alcoolismo.

O nosso trato gastrintestinal (TGI) abriga um superorganismo chamado microbiota intestinal (flora intestinal). A colonização do TGI compreende uma população bacteriana de aproximadamente cerca de 10¹⁴ UFC (unidade formadora de colônias) de bactérias, um verdadeiro exército que trabalha a favor da nossa imunidade.

As bactérias do “bem” potencializam os mecanismos de defesa do nosso corpo e melhoram a imunidade intestinal. Também vale lembrar que vários nutrientes são formados pela síntese bacteriana no TGI, entre eles, a vitamina K (saúde dos ossos), vitamina B12, vitamina B1 e vitamina B2 (regulam o sistema nervoso, saúde da pele, cabelos e unhas) e o aminoácido triptofano (responsável pela produção de serotonina – sensação de bem estar).

Quando surge um desequilíbrio na flora intestinal e ocorre um aumento da colonização por bactérias patógenas do “mal” denomina-se disbiose intestinal.

Causas da disbiose intestinal

As causas da disbiose intestinal além de estarem relacionadas com o uso excessivo de medicamentos, principalmente antibióticos, cortisona ou laxante e o alcoolismo, também estão ligadas aos fatores como o estresse, alimentação inadequada e industrializada com excesso de açúcares, alimentos refinados e pobre em fibras podem ser a chave para desencadear a disbiose intestinal.

Algumas doenças intestinais, como diverticulose, inflamação intestinal e a prisão de ventre, também favorecem o desequilibro da flora intestinal e, consequentemente, o desenvolvimento da disbiose.

Sintomas e tratamento da Disbiose intestinal

Os sintomas da disbiose intestinal geralmente incluem desconforto abdominal e flatulência, enjoos, diarreia ou constipação, queda de cabelo, enfraquecimento das unhas, dores de cabeça frequente, candidíase de repetição, falta de concentração e fadiga intensa.

O diagnostico da disbiose é realizado através de exame de fezes ou um exame de urina específico para identificar esta patologia.

O tratamento da disbiose consiste em restabelecer a flora bacteriana com uma alimentação e hidratação adequadas. O consumo de alimentos ricos em fibras e probióticos estimulam o crescimento das bactérias boas do intestino assim restabelecendo o equilíbrio deste exercito de bacterias que habitam o nosso corpo.

Como a nutrição pode ajudar?

Probióticos
Os probióticos são microorganismos vivos da nossa flora intestinal normal, ou seja, são as famosas bacterias do “bem” que, quando ingeridos em quantidades adequadas auxiliam no funcionamento do intestino, melhoram a absorção de nutrientes e nos protegem das bacterias que possam nos fazer mal. Entre os principais probióticos estão as leveduras, bactérias ácido-lácticas e bactérias não ácido lácticas.

Hoje em dia encontramos muitos produtos enriquecidos com probióticos, como iogurtes, leites fermentados, queijos, coalhadas, missô, kefir. Os objetivos destes alimentos são auxiliar na proliferação dessas bacterias para regular o trânsito intestinal e nos proteger de possíveis infecções.

Prebióticos
Os prebióticos são fibras não digeríveis que fermentam em nosso intestino e estimulam assim o crescimento das bacterias probióticas no nosso TGI. Outro ponto positivo destas fibras é a capacidade de diminuição da absorção de gorduras pelo intestino e aumento da absorção de alguns minerais como cálcio, ferro, zinco e magnésio.

As fibras prebióticas mais comuns são a inulina, a pectina e os frutooligossácarideos (FOS). Os alimentos ricos fibras prebióticas são as frutas, verduras, legumes e féculas, principalmente almeirão, raízes de chicória, trigo, cebola, alho, alho poró, aspargos, algas, linhaça, frutas cítricas, maçã, banana, cenoura, farelo de aveia, soja, ervilha e lentilhas.

Simbióticos
São produtos que associam prebóticos com probióticos afim de intensificar os efeitos dos dois componentes. Você mesmo pode preparar uma refeição simbiótica, exemplo: misture iogurte, aveia e maçã.

Para a saúde do intestino e do corpo em geral é necessário uma ingestão adequada de alimentos, em quantidade e qualidade para que o efeito benéfico seja permanente. Devemos consumir uma dieta rica em fibras, portanto inclua na sua alimentação diária muitas frutas, verduras e grãos integrais. Não esqueça que exercícios físicos regulares também auxiliam no bom funcionamento do intestino.

Procure uma nutricionista para auxiliar no tratamento da sua saúde intestinal.

Sobre Tainara Gobetti

Nutricionista Especialista em Nutrição Clínica Personalizada, acredita em uma nutrição descomplicada, funcional e gostosa. Atua através de um olhar específico sobre cada pessoa, suas individualidades e comportamento alimentar para a busca do equilíbrio entre mente e corpo saudável.
CRN: 10820
E-mail: [email protected]

Compartilhe !