Dieta Dukan: o que é, como fazer e os riscos para a saúde

Dieta Dukan: o que é, como fazer e os riscos para a saúde

É crescente, cada vez mais, o pensamento de que a queda radical de carboidratos e a ingestão exclusiva de proteínas é a melhor opção para perder peso e entrar nos quilinhos desejados no tempo programado.

O que é Dieta Dukan?

Este tipo de dieta ganhou força e radicalismo há uma década, ao ser criada pelo francês Pierre Dukan. Conhecida por Dieta Dukan, a “estratégia” consiste na retirada dos carboidratos do cardápio e a ingestão de proteínas durante um processo dividido em quatro fases.

Na verdade, é uma releitura de outra também famosa dieta do Dr Atkins, que surgiu entre as décadas de 70 e 80. Entretanto, o mais importante é descobrir, além das quatro fases da Dieta Dukan, outras três fases deste processo: os “benefícios”, os riscos e os efeitos colaterais desta transformação em nosso corpo. Vamos lá!

Quatro fases da Dieta Dukan

Fase de Ataque…

A Dieta Dukan é devidida em quatro estágios. A primeira semana, conhecida como Fase de Ataque é a mais radical: pede que seja consumido apenas alimentos proteicos. A quantidade de carnes magras a serem consumidas é livre. Dukan fornece em seu manual uma lista de 72 fontes de proteínas, como ovos, carnes de vaca e magras, aves sem pele, queijos magros, soja, iogurtes, leite desnatado e frutos do mar. A excessão do consumo de proteínas fica apenas por conta de 1 colher e meia de farelo de aveia com um litro e meio de água por dia. Busca-se perder nessa primeira fase – que pode durar até 10 dias – pelo menos entre dois e cinco quilos.

Fase de Cruzeiro…

A segunda fase da Dieta Dukan inicia-se após sete dias de ingestão exclusiva de alimentos proteicos. Nesta segunda fase – conhecida como Fase Cruzeiro – verduras e legumes podem ser adicionadas em alguns dias, variando o cardápio entre proteína, e proteína com alguns vegetais quase zerados de carboidratos que são permitidos. De acordo com a dieta, esse estágio deve permanecer até que o adepto da dieta atinja o peso desejado. Entretanto, apenas alguns legumes e vegetais folhosos são aceitos. Entre eles, abobrinha, alho-poró, espinafre e escarola, rabanete, tomate, palmito, aipo, acelga, pepino, beringela, cogumelos, além do consumo mínimo de 1,5 litros de água ao dia.

Fase de Consolidação…

A Dieta de Dukan atribuiu a essa fase a inserção de mais alguns alimentos a fim de “evitar o ganho de peso novamente”. É sabido que, em qualquer dieta que a perda de peso seja agressiva, no geral, a volta do peso decorre de forma rápida. Nesta fase, entra no cardápio uma porção de frutas, pão integral, queijo e duas porções por semana de cereais. Segundo a Dieta Dukan, ela deve durar 10 dias para cada quilo de peso perdida.

Fase de Estabilização Permanente…

A Dieta de Dukan atribui a este estágio o sucesso do novo peso alcançado, ou seja, é a fase de “estabilização”, pela qual são considerados três princípios: a repetição da fase de ataque uma vez por semana, o consumo de três colheres de aveia por dia e a prática de atividades físicas.

Há benefícios da Dieta Dukan?

Quem acha que a Dieta Dukan e seus efeitos é a solução ou a possibilidade para perder peso em curto espaço de tempo, fundamenta o racíocínio apontando que os alimentos proteicos possuem uma capacidade digestiva mais lenta, e que, por isso, causam a sensação de saciedade com maior facilidade. Outra afirmativa é que não existem limitações em relação à quantidade dos alimentos que podem ser consumidos, respeitando-se, para tanto, a restrição acerca dos que não fazem parte da dieta.

Mas o que prometem essas “milagrosas dietas” como a Dieta de Dukan? O mesmo que todas as outras: “milagrosa perda de peso sem o mínimo esforço”. Realmente, o maior benefício para os adeptos é a perda de peso em curto prazo. E todo o problema começa aí. Sabe porquê? Por um único motivo: a redução de peso neste curto espaço de tempo não significará em perda de gordura, mas geralmente perda da própria massa muscular, desencadeando outras centenas de reações no corpo. Vamos analisar como e quais!

Riscos da Dieta Dukan

Transformações inesperadas…

Normalmente, escutamos dizer a um paciente que relata quadros de tonturas, desmaios e fraquezas que a pessoa está sem energia. Pois é, na nutrição, energia tem nome: carboidratos, pode ser o complexos, mas isso mesmo! Eles funcionam como a maior fonte de energia para o nosso organismo. Numa parada repentina do consumo de carboidratos, o nosso organismo não descansará até tentar convencer a gordura corporal a desempenhar o papel de energia, o que irá trazer uma série de transformações desastrosas e prejudiciais à células do nosso corpo.

Mais gorduras…

A Dieta Dukan demanda desde a primeira fase a ingestão de alimentos proteicos como os de origem animal, que apresenta maior teor de gordura saturada, esta pode contribuir para o aumento do colesterol, que pode desencadear problemas como entupimento de vasos, risco de infarto e aterosclerose.

Sobrepeso nos rins e estômago…

Os nossos rins são responsáveis por eliminar a amina, uma substância contida nos aminoácidos que fazem parte das proteínas. Desta forma, o aumento da quantidade de proteína no organismo termina promovendo um aumento de amina que deve ser eliminado pelos rins, que podem passar a funcionar sobrecarregados, já que a única finte alimenta na primeira fase e vinda e proteína sem limite de quantidades.

Por priorizar alimentos proteicos e, portanto, mais difícies de serem digeridos, os adeptos da Dieta Dukan costumam relatar dores abdominais logo após as primeira semanas da dieta. Isso está relacionado ao processo de digestão mais demorado das proteínas, principalmente de carne de boi, que é liberada na primeira fase sem restrição de quantidade.

No dia-a-dia da Dieta Dukan

Você já deve ter escutado falar no termo “dietas restritivas da moda” que visam emagrecimento rápido e resultados milagrosos. Como o próprio nome já diz, estes tipos de dieta são aquelas que alteram radicalmente a sua rotina, e não levam em consideração o seu hábito, o aprender a comer e o prazer em se alimentar, visam somente retirar alimentos da alimentação que logo ocorrerá a perda de peso. E de todas as maiores restrições acerca desta dieta, a mais importante é a exclusão dos carboidratos. Isso porque quando você corta radicalmente do seu organismo a sua maior fonte de energia, ocorre a perda de peso rápida para maioria das pessoas, mas não se leva em consideração se irá manter massa muscular, se a pessoa sabe comer bem e se faz atividade física.

Devemos levantar sempre esta dúvida em cima de cada dieta da moda, pois, vem sendo feitas sem ao menos a consulta de qualquer profissional. A pessoa apenas lê as orientações e segue sem a menor orientação e acompanhamento, o que muitas vezes ocorre prejuízos nutricionais e o pior reganho do peso quando não consegue mais manter a “dieta”.

Existem estudos científicos sobre a Dieta Dukan?!

Após chamar atenção da academia por ganhar bastante espaço e adeptos nos últimos anos, a Dieta de Dukan passou a ganhar ainda mais atenção depois de ser utilizada assumidamente por celebridades. Diversas associações e sociedades médicas e de nutrição passaram a avaliar validade da dieta para a população, porém poucos estudos são encontrados para afirmar que esse modelo de “dieta” é benéfico.

Um estudo de 2015, realizado na Polónia, por Wyka J., avaliou o consumo da dieta das mulheres que adotam a dieta de Dukan, incluindo ingestão de proteínas, gorduras, carboidratos e vitaminas e minerais e verificaram que a adoção desta dieta a longo prazo pode representar ameaças para a saúde através da aquisição de doença renal e hepática, osteoporose e doenças cardiovasculares.

Portanto, muita atenção nas dietas da moda já que a maioria não tem valida cientifica para afirmar que não iram causar prejuízos a saúde.

Minha amiga emagreceu com a Dieta Dukan…

Quem nunca escutou que alguém perdeu consideráveis quilinhos em curto espaço de tempo com a Dieta Dukan? E é justamente por isso que ela se popularizou tanto nos últimos anos. Basta uma pequena pesquisa para você notar que a principal atração desta dieta é a repentina perda de peso.

Desta forma, podemos iniciar essa nova etapa de diálogo entendendo, de imediato, que para a comunidade científica isso não é bom, ou seja, não pode fazer bem ao corpo perder, radicalmente, 10 quilos em duas semanas. Isso pode não ser um bom sinal para a sua saúde.

Durante qualquer dieta que busque uma perda rápida de peso, é necessário que você consuma menos calorias do que gasta no seu dia-a-dia. Por isso, basta apenas fazermos contas para emagrecer ou engordar: se gastamos, por exemplo, 2.000 calorias por dia e ingerimos apenas 1.500, iremos emagrecer. E se gastamos 2.000 calorias por dia e ingerimos 2.500, iremos engordar. Como a Dieta Dukan realmente restringe radicalmente o consumo de calorias presentes no carboidrato, irá causar perda de peso. Desta forma, a comunidade científica não nega a perda de peso, mas aponta que não se trata numa maneira correta de perder peso e nem te manutenção, já que o retorno ao consumo de alimentos de diferentes fontes de energia pode ocorrer o reganho de peso principalmente se não for de uma forma orientada e organizada, o que pode acarretar consequências irreparáveis em nossa saúde e organismo.

A melhor mudança é a de hábito…

Se você me perguntar se a Dieta Dukan irá lhe fazer uma pessoa mais saudável, eu responderei que não! Ela é uma dieta restritiva, e por isso diferente das que mudam hábitos alimentares associada com atividade física, olhar diferente para os alimentos e equilíbrio entre corpo e mente.

A restrição total de carboidratos…

A restrição total de carboidratos pode acarretar diversos problemas e efeitos colaterais rápidos como náuseas, mal estar, mau hálito, dor de cabeça, boca seca, dor de cabeça e fraqueza no corpo, falta de concentração, alteração de humor entre outras. Com baixa de carboidratos geralmente ocorre também a deficiência de fibras, que acarreta alterações intestinais, além de provocar alteração da flora bacteriana. No estômago o excesso de proteínas também pode causar irritações, aumento da secreção acida com má digestão, refluxo e azia (pirose).

A longo prazo pode ocorre aumento de ácido úrico, mais risco de desenvolvimento de gota, além de elevação do nível de colesterol, aumento do trabalho renal. A redução de massa óssea também é apontada nos últimos anos como possível consequência da dieta, ou seja, osteoporose a longo prazo. A fadiga em razão da falta de energia, gripes, deficiências vitamínicas, como também quadros de ansiedade e insônia.

Efeito sanfona…

É comum que os adeptos da Dieta Dukan apresentem o famoso “efeito sanfona”, ocasionada pela alteração radical provocado ora pela perda de peso, ora pelo ganho de peso de forma cíclica. E convenhamos: essa é a pior e mais feia forma de emagrecer, pois estará associada diretamente com sua perda de saúde também. Numa época em que descobrimos cada vez mais a incidência de câncer e problemas cardiovasculares, a Dieta Dukan pode representar um retrocesso acerca da melhor forma de cultivar um bom hábito alimentar.

Avaliação final…

A Dieta Dukan representa uma dieta da moda, onde na grande maioria ocorre o efeito sanfona ocasionado junto a outras problemas pela restrição radical de carboidratos curto prazo e longo prazo, causando graves efeitos colaterais. O fato da dieta usar a fase mais radical – a primeira fase – pelo menos uma vez na semana pelo resto da vida é o melhor demonstrativo de que a dieta não o ajudará a perder peso de forma contínua e persistente e de modificar hábitos e de ter uma relação “amigável” com os alimentos e sim de “briga”continua.

Sobre Fernanda Mululo

Nutricionista clínica pós-graduada em nutrição funcional e fitoterapia. Atua no atendimento exclusivo e individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Desde de sua formação trabalha com mulheres portadoras de endometriose e em pré e pós operatório de cirurgias diversas. Nutricionista Staff do Hospital Universitário Pedro (HUPE/UERJ) na área materno infantil, trabalha também em parceria com clínica de estética e com equipe de gastroenterologista no tratamento de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Dedica total atenção aos pacientes, permitindo a troca de experiências para o avanço no tratamento ou na mudança do estilo de vida.
CRN 11100927 www.fernandamululo.com.br

Compartilhe !