Contar calorias é o melhor caminho para emagrecer?

Contar calorias é o melhor caminho para emagrecer?

Até pouco tempo atrás, era muito comum escutar que para emagrecer era preciso apenas gastar mais calorias do que se consome. E, infelizmente, até hoje, muitas dietas genéricas ainda se baseiam nesta máxima. No entanto, nem todas as calorias são iguais. Isto acontece porque cada tipo de alimento passa por caminhos metabólicos distintos, enquanto nosso corpo processa as substâncias de maneiras diferentes.

Impacto metabólico dos alimentos no organismo é mais importante que contar calorias

As calorias podem ser usadas como referência, contudo, é muito mais eficiente levar em consideração os nutrientes e o impacto metabólico dos alimentos em seu organismo e se possuem aditivos que irão dificultar esse caminho, alimentos baixa caloria “light” porém, muito industrializados (corantes, conservantes, acidificantes, realçador de sabor, etc).

Por exemplo, tanto uma maçã quanto um brigadeiro possuem 90kcal. Porém, a principal diferença entre eles está no Índice Glicêmico (IG) e os nutrientes existentes na composição dos dois, enquanto a fruta possui IG 39, o doce conta com o IG do leite condensado (85) e do chocolate (57) em sua composição, junto com grande quantidade de açúcar e baixo teor de fibras, vitaminas e minerais.

O Índice Glicêmico mede a velocidade com que os níveis de insulina aumentam em resposta à rapidez com que a glicose, presente principalmente nos carboidratos, entra na corrente sanguínea, e divide os alimentos em três categorias: baixo (IG menor ou igual a 55), médio (IG de 56 a 69) e alto (maior ou igual a 70). Quanto maior a quantidade de insulina necessária para metabolizar o alimento, maior é seu índice glicêmico.

Consumo em excesso de alimentos com alto IG traz malefícios

O processo funciona da seguinte maneira: ao ingerir um alimento com alto Índice Glicêmico, seus níveis de açúcar no sangue sobem rapidamente, o que aciona o pâncreas a liberar insulina, o hormônio responsável por transportar o açúcar para dentro das células e diminuir os níveis de glicose no sangue. Esta redução rápida gera um estímulo para o cérebro, que responde com a sensação de fome e te faz comer mais na refeição seguinte, e leva ao acumulo de gordura.

O consumo em excesso de alimentos com Índice Glicêmico alto ainda faz com que o organismo como o tempo possa se tornar resistente à insulina, o que pode desencadear doenças como obesidade e diabetes, além de favorecer o envelhecimento prematuro, a diminuição da eficiência da imunidade corporal e o desgaste do pâncreas. Por isso, é recomendado buscar a orientação de um nutricionista, que saberá indicar um plano alimentar de acordo com seus objetivos e necessidades.

Sobre Fernanda Mululo

Nutricionista clínica pós-graduada em nutrição funcional e fitoterapia. Atua no atendimento exclusivo e individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Desde de sua formação trabalha com mulheres portadoras de endometriose e em pré e pós operatório de cirurgias diversas. Nutricionista Staff do Hospital Universitário Pedro (HUPE/UERJ) na área materno infantil, trabalha também em parceria com clínica de estética e com equipe de gastroenterologista no tratamento de pacientes com Doença Inflamatória Intestinal. Dedica total atenção aos pacientes, permitindo a troca de experiências para o avanço no tratamento ou na mudança do estilo de vida.
CRN 11100927 www.fernandamululo.com.br

Compartilhe !