Culinária Japonesa – Afinal, a comida japonesa está ou não liberada na dieta?

Culinária Japonesa – Afinal, a comida japonesa está ou não liberada na dieta?

A resposta é: DEPENDE! A comida japonesa aqui do Brasil não é 100% saudável como muitos imaginam e achar que o seu consumo está liberado é um grande equívoco. Apesar de utilizar alimentos de boa qualidade nutricional como os peixes, cogumelos, legumes variados e algas.

Muitas das preparações levam uma quantidade exagerada de sódio, gordura e açúcar, pondo em cheque a parte do “ser saudável”. Existem opções saudáveis no cardápio da culinária japonesa, afinal o principal fator para a longevidade dos japoneses é a sua dieta tradicional. Os japoneses prezam por uma alimentação elaborada, com cores e texturas e adotam, portanto, métodos de cocção que preservam o sabor natural e nutricional dos alimentos. (Demetrio, 2009).

Princípios da comida japonesa

A culinária japonesa adota dois princípios: os alimentos devem estar absolutamente crus e frescos, principalmente os peixes, e os temperos servem apenas para realçar sabores dos alimentos e nunca transformá-los. (Demetrio, 2012)

Então para você que gosta de uma comida japonesa, saiba as opções mais saudáveis e as que são menos recomendadas, principalmente para quem segue uma dieta.

Invista nas proteínas: Sashimis, carpaccios, sunomono, cogumelos shitake e shimeji, eles são boas opções. Lembre-se de perguntar como é a forma de preparo.

Deixe de lado as frituras e modere nas preparações que contenham arroz. Pra quem não sabe o Gohan (arroz da culinária japonesa) é feito com acidez (vinagre) e açúcar. Muito açúcar!

– Molho shoyo é muito utilizado nesse tipo de culinária. Porém é rico em sódio, o que causa retenção de líquidos, além de contribuir para a hipertensão. Portanto, peça shoyo light ( que é reduzido em sódio) e o dilua em shot de limão.

Gengibre considerado um poderoso anti-inflamatório, anticoagulante, antioxidante e
bactericida, na culinária japonesa devemos tomar cuidado. Os do japonês também levam açúcar na sua preparação, deixando de ser tão benéfico assim, né? Assim como o pepino. Então é sempre importante QUESTIONAR! Existem lugares que fazem essas preparações sem açúcar.

Cuidado com as bebidas que vão acompanhar a comida japonesa. Dispense as bebidas
altamente açucaradas como os refrigerantes e os sucos podem colocar e aposte na água com
gelo e limão, é uma boa saída.

Por último: Evite Rodízio! Não entre na síndrome do: paguei, vou comer tudo o que tenho
direito. Em rodízio, para quem não consegue manter o foco, você perde totalmente o controle do que você está comendo.

Siga as dicas e aproveite com moderação e equilíbrio, sempre buscando escolhas alimentares mais saudáveis! Em caso de dúvidas, consulte um Nutricionista.

Sobre Bárbara Vaz

Nutricionista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua como consultora em Segurança e Qualidade Alimentar de restaurantes japoneses no Rio de Janeiro. Além de atuar no atendimento clínico individualizado a pacientes com diversas necessidades e objetivos. Tem como lema: Comer é uma arte, é um ofício. Só que precisa cuidado.
Email: [email protected]
Facebook: www.facebook.com/nutribarbaravaz

Compartilhe !

Comentários

  1. Taiane says:

    Adorei saber mais sobre a comida japonesa, sou apaixonada por esse tipo de comida e nada melhor do que ter alguém para sanar as dúvidas, obrigada Dra. Barbara, adorei a dica !!!

    • Equipe Comidamiga says:

      Obrigado pelo comentário, Taiane! Parabéns para a nutricionista Bárbara pelas dicas de um assunto de muito interesse para as pessoas 🙂