Tudo sobre Caroline Vallinhos nutricionista

Sobre Caroline Vallinhos

Nutricionista clínica e funcional, com 7 anos de experiência em coaching de emagrecimento e qualidade de vida para pessoas em busca de melhoria alimentar e enfermos com necessidade de melhoria de quadro clínico. Vasta experiência com consultoria para empresas do ramo alimentício, tais como grandes industrias de alimentos, cozinhas experimentais e mercado de food service.
CRN3: 37006
Facebook: NutricionistaCarolineVallinhos

Shake para emagrecer: Será que essa é a melhor opção?

Com a promessa de emagrecimento saudável e pela praticidade do consumo e preparo, o shake para emagrecer virou febre. Mas será que eles são mesmo a melhor opção para quem quer emagrecer de forma gradual e com saúde?

A recomendação dos fabricantes para quem deseja eliminar peso é substituir duas refeições principais (café da manhã, almoço, jantar) pelo shake. Fora as duas refeições substituídas, as demais devem ter sempre alimentos saudáveis.

E isso realmente vai fazer com que emagreça? Na maioria das vezes sim, pois há uma grande restrição calórica, 1 copo de shake preparado com leite desnatado tem aproximadamente 200 calorias.

Mas e os nutrientes que necessitamos na refeição, estão presentes no shake?

Apesar dos fabricantes falarem que o shake é completo em macronutrientes (gordura, carboidrato e proteína) e micronutrientes (vitaminas e minerais), um estudo feito pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor mostrou que não é bem assim.

Na maioria das marcas foi verificada uma quantidade maior de proteína e carboidrato, e uma quantidade menor de gordura do que o recomendado. Além de um desequilíbrio nas taxas de vitaminas e minerais.

Vale ressaltar, que apesar do teste mostrar esse desequilíbrio, os shakes têm registro e são liberados pela ANVISA.

O seu consumo traz algum malefício à saúde?

Não existem estudos que avaliem algum malefício no consumo do shake, em longo prazo. Mas se nas refeições em que não se consome o shake, não escolher alimentos saudáveis, sua saúde pode ser prejudicada. Por exemplo, você pode desenvolver uma anemia.

Muito cuidado também com o reganho de peso. Dificilmente alguém consegue passar a vida tomando shake para emagrecer, mesmo que em substituição a uma refeição para manter o peso. E como não houve uma reeducação alimentar, uma mudança de hábitos, a chance de voltar a ganhar peso quando para de tomar o shake é muito grande.

Em minha opinião, a melhor maneira de eliminar peso é através de uma mudança de estilo de vida, com uma alimentação saudável, balanceada, e a prática regular de atividade física.

Mas se realmente decidir se render ao shake, é importante que consulte um nutricionista para que seja orientada corretamente em como incluir o shake no seu cardápio e como devem ser as demais refeições.

Deixe um comentário

Vinagre de maçã: o que é, como usar e quais os benefícios para a saúde

O vinagre de maçã é obtido a partir da fermentação da maçã. Ele é o menos ácido de todos os vinagres e tem um sabor mais suave.

Controle do colesterol: estudos indicam que o consumo diário de vinagre de maçã está relacionado à redução dos níveis de LDL colesterol, o mau colesterol.

Retarda o envelhecimento: por ser feito através da fermentação de uma fruta, ele possui características antioxidantes, que combatem os radicais livres, retardando o envelhecimento celular, prevenindo contra o aparecimento de doenças, como alguns tipos de câncer.

Emagrecimento: um dos componentes do vinagre de maçã, o ácido acético, tem o poder de queimar os estoques de gordura, pois aumenta o metabolismo e também possui uma substância que ajuda aumentar a sensação de saciedade, retardando o esvaziamento gástrico.

Controle do diabetes: segundo estudo da American Diabetes Association o consumo de vinagre de maçã melhora a sensibilidade à insulina em pacientes com resistência a insulina e diabetes tipo 2. Portadores de diabetes têm essa sensibilidade reduzida, o que diminui a absorção de glicose.
Auxilia no combate a prisão de ventre: pela presença de pectina, o uso do vinagre de maçã ajuda a regular o funcionamento do intestino.

Ajuda na digestão: o vinagre de maçã ativa as enzimas digestivas.

Para aproveitar os benefícios do vinagre, o indicado é que consuma duas colheres de sopa de vinagre por dia, em saladas, molhos.

Que tal na compra do próximo mês incluir o vinagre de maçã no seu carrinho?

Deixe um comentário

Conheça o calendário mensal de frutas, legumes e verduras

Apesar de encontrar esses produtos praticamente o ano todo, há um período em que eles estão mais baratos, mais doces (no caso das frutas) e com melhor qualidade.

Saiba a época certa para encontrar frutas, legumes e verduras, em maior quantidade e melhor preço.

Janeiro
Abacaxi, banana-nanica, banana prata, batata, berinjela, figo, goiaba, laranja-pera, limão taiti, mamão, manga, maracujá,melancia, melão, milho verde, pepino, pêssego, quiabo, salsão,tomate, uva, vagem.

Fevereiro
Abacate, abobrinha, figo,goiaba, laranja-pera, maçã, milho verde, pepino, pera, pimentão,quiabo, uva.

Março
Abacate, abobrinha, berinjela,caqui, cebolinha, chuchu, coco,figo, goiaba, inhame, laranja, pera, limão taiti, maçã, milho verde, pepino, pera, pimentão,quiabo, rabanete, repolho, rúcula, tangerina, tomate, uva.

Abril
Abacate, abóbora, mandioca, banana-prata, berinjela, caqui,cebolinha, chicória, chuchu, coco, figo, inhame, laranja-pera, limão taiti, maçã, mamão, maracujá,milho verde, pepino, pera,pimentão, quiabo, rabanete, repolho, rúcula, tangerina,poncã, uva, vagem.

Maio
Abacate, abóbora, mandioca, batata-doce, caqui, cenoura,chicória, coco, espinafre, inhame, laranja-lima, limão taiti, maçã,mamão, maracujá, milho verde, pera, quiabo, rabanete, repolho,tangerina, poncã, tomate,vagem.

Junho
Abacate, abóbora, mandioca, batata-doce, cenoura, coco,couve-flor, espinafre, inhame,limão-taiti, maçã, maracujá,morango, rabanete, repolho, tangerina, poncã, tomate.

Julho
Abóbora, agrião, mandioca,banana-nanica, batata-doce, brócolis, cebola, cenoura, chicória, coco, couve, couve flor, espinafre, inhame, laranja lima, limão taiti, maracujá, morango, pepino, pimentão,rabanete, repolho, rúcula, salsão,tangerina, poncã, tomate.

Agosto
Abóbora, agrião, mandioca, alface, banana-nanica, batata doce, berinjela, beterraba, brócolis, cebola, cebolinha, cenoura, chuchu, chicória, pocã.

Setembro
Abóbora, agrião, banana-nanica,beterraba, brócolis, cebola,cenoura, chicória, chuchu, coco, couve, couve-flor, espinafre,inhame, mamão, morango,pimentão, rabanete, repolho,rúcula, tangerina, tomate,vagem.

Outubro
Abacaxi, abobrinha, agrião, alface, banana-nanica, batata, beterraba, brócolis, cebola, cenoura, chuchu, couve-flor,espinafre, mamão, melão, morango, pêssego, pimentão, rabanete, repolho, rúcula, salsão, tangerina, tomate, vagem.

Novembro
Abacaxi, alface, banana-nanica, batata, beterraba, brócolis, cebola, espinafre, mamão, manga, melancia, melão, milho verde, morango, pepino, pêssego, rabanete, repolho,salsão, tangerina, tomate,vagem.

Dezembro
Abacaxi, alface, batata, cebola, couve, figo, mamão, manga, maracujá, melancia, melão, milho verde, pepino, pêssego, rabanete, repolho, salsão, uva, vagem.

Deixe um comentário

6 dicas de nutrição para quem pratica atividade física

Todas as pessoas que praticam atividade física devem mudar seus hábitos alimentares. A alimentação é diferenciada de acordo com a performance e as necessidades de cada pessoa. Com a prática e o aumento do tempo ou da intensidade da atividade física, podem ser necessários alguns complementos ou suplementos. (Para atividades de até uma hora, precisa apenas de beber água).

O programa alimentar deve ser planejado de acordo com peso, idade, altura, hábitos alimentares, exames laboratoriais e prática esportiva. Por tanto, procure uma Nutricionista para fazer a dieta ideal a sua modalidade/rotina.

Dicas de nutrição para praticantes de atividade física

Abaixo, segue algumas pequenas dicas para atingir seu objetivo:

Dica 1: Ganho de massa muscular magra e perda de gordura são resultados de uma alimentação saudável, balanceada e frequente (3-3hrs).

Dica 2: Não faça exercícios em jejum! Seu corpo precisa da energia, principalmente dos carboidratos para evitar o consumo de proteína.

Dica 3: Atenção para a hidratação! Quem realiza exercícios físicos têm uma maior perda de água pelo suor, e não pode descuidar da reposição. Lembre-se que a hidratação inadequada irá interferir no desempenho do treino.

Dica 4: Carboidratos (cereais, frutas, massas, batata, mandioca, pães, etc.) são os alimentos que devem estar com maior frequência em seu cardápio, afinal, são eles que fornecem energia, disposição, dão volume aos músculos (glicogênio) e participam ativamente na recuperação do corpo após os exercícios;

Dica 5: Proteínas (carnes, aves, peixes, ovos, leite e derivados, soja e feijões) também são muito importantes na construção e reparação dos músculos, entretanto, a necessidade desse nutriente é facilmente alcançada, então, não há necessidade do exagero no consumo desse grupo de alimentos;

Dica 6: Lipídios (azeite, oleaginosas, abacate, peixes gordurosos, sementes, leite integral, queijos amarelos, manteiga), devem estar em menor quantidade em seu cardápio, mas você nunca deve excluí-los por completo, afinal, as gorduras têm muitas funções essenciais no organismo e metabolismo, além de colaborar com o fornecimento de energia para o exercício e recuperação. Prefira sempre as fontes de gordura vegetal e peixes – gorduras boas;

Os atletas costumam acreditar que quanto menos gordura melhor. Isto é desinformação porque se o atleta tem pouca gordura corporal pode faltar as vitaminas liposoluveis (disolvidas em gordura) do tipo A, D, E e K. O ideal é consumir 20 % deste item na alimentação.

As pessoas que praticam atividade física ficam tão preocupadas com a ingestão de proteínas e carboidratos, que se esquecem das vitaminas e minerais. Ambos são muito importantes, afinal, organizam todo o metabolismo, ajudam na queima de gordura, aumento de síntese de proteínas, formação de energia, qualidade dos ossos e órgãos e alguns são antioxidantes. Aumente seu consumo diário de alimentos frescos e naturais como: verduras, legumes, frutas, cereais, ovos, leite e derivados, sementes, carnes e aves.

Os suplementos alimentares, se necessários, devem ser indicados por um profissional que irá avaliar qual o melhor tipo, a quantidade recomendada e horários mais favoráveis para o consumo.

Deixe um comentário

9 alimentos que aliviam os sintomas da menopausa

Além da reposição hormonal, que alguns médicos indicam, a alimentação pode ser uma excelente aliada no controle de sintomas como: ondas de calor, irritabilidade, entre outros, muito comuns na menopausa.

Veja alguns alimentos que podem ajudar nesses sintomas:

Castanha Do Pará: rica em selênio, é um excelente antioxidante. Além disso, ajuda no funcionamento da tireóide, a fortalecer o sistema imunológico e as funções cerebrais que durante a menopausa têm uma diminuição. Por ser rica também em vitamina E, ajuda a diminuir as ondas de calor.

Laranja: assim como as demais frutas cítricas (morango, limão, caju), ela contém vitamina C, necessária para a síntese dos hormônios.

Tomate: possui licopeno, um antioxidante que protege as células evitando o envelhecimento precoce e ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Beterraba: a beterraba é rica em magnésio, que age no bom humor e relaxamento muscular.

Peixes: junto com os frutos do mar são ricos em zinco, que é importante para síntese de vários hormônios, incluindo os sexuais.

Brócolis: assim como os demais vegetais verdes escuros, o brócolis contém ácido fólico que ajuda a proteger contra o câncer de mama.

Leite e derivados: ocorre a diminuição dos níveis de estrógeno, hormônio responsável pela conservação do cálcio nos ossos, na menopausa, e é comum muitas mulheres terem osteoporose. Além disso, o consumo adequado de cálcio ajuda a reduzir a irritabilidade.

Linhaça: é uma das fontes alimentares de lignanas, um fitoesteróide que “imita” a ação do estrógeno. Além de ser fonte de fibras que dão mais saciedade, e ajudam no controle do peso.

Carnes Magras: as carnes magras, assim como os queijos brancos, nozes e leguminosas são alimentos ricos em triptofano. O triptofano tem participação importantíssima na formação de serotonina, um hormônio relacionado ao prazer e bem estar.

Deixe um comentário

5 mitos e verdades sobre o colesterol

As pessoas sempre me perguntam sobre as verdades e mentiras no combate ao colesterol. Existem muitos mitos que são falados desde os antigos tempos pelos nossos familiares. Neste texto vamos falar sobre alguns mitos e verdades sobre o colesterol.

1. Suco de berinjela ajuda a controlar o colesterol?

Depende. A berinjela tem antioxidantes e fibras que podem ajudar a manter os níveis do colesterol, mas não tem nada que comprove o seu efeito significativo para o corpo. É importante reforçar que o fruto deve ser parte de uma dieta e não o único alimento para controlar o mal.

2. Anticoncepcional pode alterar os níveis de colesterol?

Verdade. A alteração é bem leve, sendo significativa apenas para quem já tem tendência em desenvolver o mal. A pílula pode aumentar suavemente os níveis de colesterol mau e diminuir o bom, por causa da progesterona (hormônio contido no remédio).

3. Posso ter o colesterol alto mesmo comendo saudável?

Depende. O colesterol é uma substância produzida pelo seu próprio corpo e afetada também pela ingestão de comidas com gorduras saturadas. Você pode até ser magro, mas se come alimentos muito gordurosos poderá desenvolver a doença como pode também ter uma propensão genética.

4. Vinho pode amenizar o mau colesterol?

Verdade. O vinho contém flavonoides, substâncias contidas nas uvas roxas e que protegem o coração das placas de gordura que podem entupir as artérias.

5. Para melhorar o nível é preciso eliminar todos os alimentos com colesterol?

Mito. O corpo precisa dos níveis de colesterol equilibrados. Quando o ruim está alto é preciso entrar em uma dieta que diminua as comidas com os altos índices de gordura, mas não extinguir. Sem colesterol, o corpo não produz vitamina D, essencial para os ossos.

Deixe um comentário

Alimentos e hábitos capazes de auxiliar no combate ao colesterol ruim

“Uma alimentação saudável é fundamental para controlar os níveis de colesterol”. Para isso, é preciso seguir uma dieta equilibrada à base de frutas, verduras, legumes, carnes brancas, fibras, azeite de oliva e praticar atividade física (essencial).

Alimentos que ajudam a combater o colesterol

Alguns alimentos, como abacate, peixes e laranja, colaboram na redução do colesterol ruim (LDL) e contribuem para o aumento do bom colesterol (HDL). Do mesmo modo que devemos melhorar o consumo de alguns alimentos, outros precisam ser evitados como alimentos gordurosos, excesso de carne vermelha, leite integral, queijos amarelos e frituras.

As frutas auxiliam no combate do colesterol ruim (LDL) – Goiaba, kiwi, morango e laranja que são fontes de vitamina C são aliados da saúde do coração, pois evitam a formação de placas de gordura. Nessas frutas encontram-se substâncias antioxidantes que auxiliam na diminuição dos níveis de LDL (colesterol ruim), pois limitam a absorção do colesterol no intestino.

O abacate, por exemplo, beneficia o combate colesterol ruim (LDL). Ele é rico em gordura monoinsaturada e auxilia no aumento do bom colesterol (HDL).

Peixes e ômega 3

As gorduras insaturadas, encontradas em peixes, colaboram na redução dos níveis de triglicerídeos. Os peixes são fontes de ácido graxo e ômega 3, tipo de gordura boa e insaturada, auxiliam no controle e redução dos níveis de colesterol total do sangue, além de reduzir a formação de coágulos e colaborar com a prevenção das doenças cardiovasculares.

Os alimentos como aveia e linhaça melhoram a circulação e inibem a absorção de gordura. A aveia em especial, contém fibra solúvel que retarda o esvaziamento gástrico e o tempo do trânsito intestinal, promovendo uma sensação maior de saciedade no organismo, além de atuar no controle da glicemia. E a linhaça é um dos alimentos mais ricos em ômega 3 (essencial).

As nozes e castanhas também possuem grandes quantidades de antioxidantes responsáveis por combater o envelhecimento celular, sendo a arginina, presente nestas sementes, um importante vasodilatador, contribuindo para a redução do risco de desenvolvimento de doenças coronarianas.

A alimentação saudável acompanhada de atividade física regularmente, são essenciais para a manutenção da saúde dos indivíduos.

Deixe um comentário

Saiba como reduzir o sal no dia a dia

Muitas pessoas me perguntam: Como reduzir o sal no dia a dia? Veja abaixo algumas dicas para reduzir o sal do seu cardápio diário.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o consumo de 5 gramas de sal por dia. No Brasil, identificou-se que as pessoas ingerem 9,6 gramas diariamente, quase o dobro do sugerido pela OMS, valor que aumenta ainda mais no inverno.

A quantidade equivale a uma colher de sopa diluída nos condimentos usados no preparo dos alimentos e aqueles que colocamos a mais na comida.

Para ficar mais claro, pense que 2 salsichas têm mais da metade da quantidade de sal que pode ser consumida em um único dia.

E todo mundo sabe que ingerir muito sal propicia o aumento da pressão arterial, a famosa pressão alta, e o mau funcionamento das artérias do coração, fatores que podem ocasionar infarto do miocárdio e o AVC.

Então, como reduzir o sal no dia a dia para manter uma alimentação mais saudável? Adicionar mais frutas, verduras e legumes ao cardápio são os primeiros passos. Outras dicas são evitar temperos prontos, carnes e queijos muito salgados, reduzir a ingestão de alimentos industrializados e sempre ler o rótulo para verificar a quantidade de sódio.

Vale lembrar que a hipertensão é uma doença vascular crônica, assintomática, ou seja, não tem sintomas e atinge 32 milhões de brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Hoje, as mulheres representam 25,4% da população brasileira.

Abaixo, alguns produtos que podem substituir o sal sem perder o sabor dos alimentos.

Alho e cebola
A dupla está lotada de substâncias protetoras das artérias. Mas não vale comprar aqueles potes de tempero que têm sódio na formulação. Prefira os isentos da substância ou esses vegetais in natura.

Limão
Espremer limão na salada é uma forma de acrescentar mais vitamina C no dia a dia. A adstringência do fruto ainda ajuda a espantar a vontade de comer sal.

Ervas
Elas têm em sua composição poderosas substâncias que contribuem para o bom funcionamento de todo o organismo. Coloque alecrim nas carnes, cebolinha no arroz, coentro na salada, manjericão nas massas e não se esqueça da pimenta. Abuse da imaginação!

Deixe um comentário

Farinha de berinjela emagrece?

Devido ao alto teor de fibras a farinha de berinjela pode ser uma aliada no processo de emagrecimento! Muito se fala sobre os benefícios do consumo de berinjela para a saúde, como diminuição do colesterol e prevenção de algumas doenças. Mas você sabia que a farinha da berinjela também tem muitos outros benefícios?

A farinha de berinjela é rica em fibras, que ajudam a regular o funcionamento do intestino e também dão a sensação de mais saciedade, dessa forma você come menos e, consequentemente, adquire menos peso.

Mas é importante ressaltar que ela será mais eficaz quando aliada a uma alimentação saudável e a prática de exercícios.

Benefícios da farinha de berinjela

Outros benefícios como controle da glicemia, diminuição do colesterol, triglicérides e ácido úrico também é possível se obter através do consumo da farinha de berinjela. Você pode comprar a farinha em casas de produtos naturais ou preparar em casa, é só lavar bem a berinjela, cortar em pedaços pequenos e assar por aproximadamente 2 horas. Depois é só esfriar e bater no liquidificador ou processador.

A farinha de berinjela pode ser incluída em iogurtes, vitaminas, sucos ou em preparações como saladas, sopas, feijão, massas para tortas e bolos, etc.

Esses benefícios foram descobertos devido a um estudo realizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que mostrou que mulheres que consumiram a farinha de berinjela tiveram redução na gordura abdominal e emagreceram mais do que aquelas que só fizeram dieta com valor calórico reduzido.

Mas vale lembrar que é preciso consumir a quantidade recomendada de água diariamente (1,5 a 2 litros), pois a falta de líquido, com o aumento no consumo de fibras pode ocasionar um efeito negativo.

Deixe um comentário